Elba-5

Na primeira gravidez não tirei fotos de grávida, não aquelas feitas com profissionais e tals. Eu tirei fotos caseiras, com  máquina digital mesmo. Sim, ainda se tirava foto com máquina digital (e não com celular ou tablet).

Acontece que eu achava ensaio de grávida uma babaquice SEM TAMANHO. Aquelas fotos fofas de coração na barriga, sapatinho de neném (que eu tirei em casa de zoeira só pra ter o clichezão e poder dar risada da minha própria cara daqui 30 anos), marido beijando barriga, gestante de blusa esvoaçante apoiando rosa por cima da barriga com cara de “agora que sou mãe…”. Argh!!!! Aja breguice, hein minha gente?!?

Na minha cidade, não achava um fotógrafo que fugisse disso. E não tinha nem cara nem boca minha que se encaixasse nesse tipo de foto.

Até que… Até que começaram a aparecer pela internet  ensaios super divertidos, modernosos, que registram cenas daquilo que a vida da gente realmente é. E aí sim, grávida novamente, fiquei com vontade de ter um ensaio de gestante pra chamar de meu. Achei uma profissional a fim de fazer “as minhas fotos” e acabou que me surpreendi com o resultado. Fiquei BEM feliz com as fotos no fim das contas.

E eu que tinha “vergonha alheia” de ensaio de gestante, agora “super recomendo” que se procure sim um profissional para registrar os momentos de barriga. Sérião!

Não deixe passar. Planejando a coisa direitinho, vale a pena. Ora, não tem comparação foto caseira com foto de profissional, né?

Mas olha! Passa-se perrengue! Saber o que se pretende com o ensaio pode não ser suficiente para evitar dores de cabeça na prestação desse tipo de serviço. Deixo aqui algumas dicas pra te deixar de fato satisfeita e evitar contratempos com os registros da sua gravidez :

  1. Pesquise por aí (nos estúdios, nas revistas, na internet) os tipos de fotos que os fotógrafos fazem das gestantes e estabeleça o tipo de ensaio que quer. Digite nos buscadores ou no pinterest “ensaio de grávida”  e vá selecionando as fotos de que gosta. Não têm problema se você quiser o estilo clichezão , oras. O que não rola é tirar o tipo de foto que todo mundo tira só porque todo mundo tira. Veja se quer fotos externas (em parques por exemplo), em estúdio ou na sua casa. Se quer fotos clássicas ou quer inovar e por aí vai;
  2. Se estiver pensando em fotos fora do comum, anote no papel as idéias todas e discuta com um profissional que goste de fazer trabalhos diferenciados e/ou que tope coisas inusitadas. Preste atenção nas reações dele (a) às suas idéias pra ver se vai rolar mesmo empatia e boa vontade para a realização do ensaio. Às vezes o profissional topa certas coisas só pra fechar o serviço, mas depois rola estresse na hora de efetivamente correr atrás de material e fazer/editar as imagens de acordo com as suas preferências. Sinta a “pegada”;
  3. Se você for fazer ensaio que envolva marido e/ou filhos, combine antes o teor das fotos discutindo as idéias pra que na hora não role estresse. De que adianta ficar pensando em foto do marido segurando melancia se ele não toparia isso nunca? Veja se ele topa foto sem camisa (se estiver pensando em foto dele sem camisa). Se o ensaio envolver criança, é NECESSÁRIO também criar um clima de diversão com coisas que de eles gostem. A  idéia não é só ter registros, mas se divertir também no dia de fazer as fotos! No meu ensaio rolou muita risada, foi um momento que nunca vamos esquecer, não só pelas fotos, mas pelo clima de descontração que criamos junto com a profissional que nos fotografou, mas quase tudo foi combinado previamente;
  4. No entanto, deixe espaço para criações repentinas. Idéias bacanas às vezes surgem na hora  e se prender ao que foi estabelecido pode fazer com que imagens geniais deixem de ser feitas. Ouça o profissional e deixe-o também experimentar coisas! Isto não quer dizer que você deve deixar o fotógrafo fazer fotos que sejam o contrário do que foi estabelecido para o ensaio. Tem fotógrafo que pira na hora e só quer fazer o que dá na telha dele… Atente e cheque sobre isso quando obtiver indicação;
  5. E por fim e não menos importante, faça questão de contrato de prestação de serviço. Nele devem constar preço, forma de pagamento, tempo de ensaio, prazo para edição das fotos, material que será entregue ao contratante, devidas autorizações para direito de uso de imagem e/ou de fotos e outras informações que você ou o profissional julgarem relevantes. Contrato de prestação de serviço é o principal instrumento para evitar dor de cabeça com serviço de fotógrafo. Acesse AQUI para ver exemplos de contrato;

Bueno! Agora vá lá e banque a Gisele Bunchen!

Confira AQUI uma palhinha da minha versão grávida e linda (me achando moooooooooooooooito) e inspire-se para o seu!

cristianeA fotógrafa que nos clicou foi a Cristiane Pereira do Amor em FocoA Cris é mãe da Angelie e da Alice e começa agora sua carreira como fotógrafa de família. Ama registrar gestantes e está encantada com a experiência do seu primeiro registro de parto.

Veja outras fotos na página dela no Facebook.

 

 

Licença Creative Commons

Este obra foi licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição 3.0 Não Adaptada.

Este texto possui uma licença Creative Commons BY-NC-SA 3.0. Você pode copiar e redistribuir este texto na rede. Porém, pedimos que o nome da autora e o link para o post original sejam informados claramente. Disseminar informação na internet também significa informar a seus leitores quem a produziu.

Curta essa artigo:
Curta a página do Conversas ao Meio Dia!

Elba Oliveira é mãe do Rafael e do Joaquim, nas horas vagas trabalha com o que gosta: Coaching, Maternagem e Empreendedorismo. Gosta do novo, do feito, da força e da brisa que sente no pico mais alto de cada montanha. Leva os bacuris onde vai.

Elba Oliveira

Comentários

comentários

2 Comentários

Conversas ao Meio dia - 2014 | Todos os direitos reservados!
Tema Reportage | Layout por Eluanda Andrade & Desenvolvido por RobertaRezende

Hit Counter provided by orange county plumbing